Aulas de Reforço

“Conte-me e eu esquecerei. Mostre-me e eu apenas me lembrarei. Envolva-me e eu compreenderei.”(Confucio).

Começo o texto de hoje com a frase do filósofo Chinês Confucio pois eu sou uma professora nata, gosto de dividir minhas experiências, às vezes, dou conselho sem pedir(meu desafio de vida, típico de sagitariano)… mas tenho este dom natural que me segue pela vida… Apesar de não trabalhar com educação ou licenciatura hoje.

Aos 16 anos de idade eu comecei a dar aulas de reforço para crianças entre 8 e 10 anos de idade, minhas aulas reforçavam as matérias da escola dessas crianças… fazia basicamente as tarefas que os professores passavam para fazer em casa e reforçava o que eles precisavam, geralmente era português e matemática. Eu tinha entre 3 e 5 alunos diariamente, eles vinham até a mim ou eu ia até a eles. Sempre chegavam crianças que precisavam de aulas de reforço para as provas ou para pegarem entre 2 ou 3 aulas para fazerem as provas. Eu tive esta ideia pois queria ter um dinheiro extra para comprar as coisas que um adolescente normal gosta como roupas da moda, maquiagens, bolsas, ter dinheiro para as festinhas. Naquela época não existia, na minha realidade, o projeto pequeno aprendiz, empresa da família, bolsa escola ou mesada dos pais mesmo… lembra que meus pais têm 9 filhos? Tive que me virar bem cedo, se você tiver um pouco de inteligência você consegue produzir, hoje tem os blogues, YouTube, Facebook, o trabalho pelo internet e mais um monte de opções criativas.

Dei aulas particulares até meus 18 anos, quando pude arrumar um emprego registrado. Dei aula de dança em academia, trabalhei numa concessionaria da Fiat vendendo consórcio, trabalhei em shopping center como vendedora, sempre tive o pé dentro das vendas no final da minha era no Brasil pois sempre adorei ter contato com as pessoas.

Eu tinha uma relação de Dudde(parceiro)com os pequenos, as crianças confiavam bastante em mim e sempre eu conseguia pegar detalhes que os pais não pegavam… às vezes eu tinha que quebrar este código de ética(apesar da pouca idade)e tinha que explicar a situação para os pais, para os pequenos terem a ajuda que precisavam. Às vezes eu percebia que os pais não tinham muito tempo ou não levava muito a sério o que eu estava expondo pois eu era quase uma criança que nem os filhos deles também. Acredito que aquela experiência me fez ficar esperta para muita coisa com relação aos meus filhos.

Lembro que eu passei a tirar boas notas na escola esta época pois além de ter uma rotina sistemática que me dava tempo de estudar minhas tarefas de casa, o método de ensinar para o próximo o que havia aprendido me deu autonomia no aprendizado das informações novas que me chegavam.

Fazer perguntas aos meu filhos foi uma das coisas que aprendi depois de ser mãe, isto os deixa refletirem sobre as coisas, deixá-os tomar decisões, os transformam em pessoas independentes, decididos… é tudo de bom, o diálogo flui mais fácil pois eles estão acostumados a argumentarem.

Não existe método certo ou errado, quando se faz com Amor, se tem uma grande chance de se acertar. ❤️

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.