A Força do Vazio

O vazio existencial está presente na vida de todo ser humano, em maior ou menor grau. É sentido e vivenciado em inúmeras circunstâncias da existência humana. Ele emerge diante de situações peculiares e às vezes estressantes na vida do sujeito. Também pode ser observado diante dos vários lutos e perdas vividas ao longo da vida do indivíduo. Permeia alguns distúrbios e patologias psíquicas, como a própria depressão. É vivenciado, de forma explícita ou implícita, no cotidiano de cada ser humano toda vez que o mesmo se questiona, reflete e filosofa acerca do verdadeiro sentido da vida. (retirado do site: portoferreirahoje.com.br).

Existe também o Vazio da criação e irei falar sobre a força do vazio visto de um outro ângulo, o ângulo do espaço que fica, das possibilidades de coisas novas que podemos deixar entrar para preencher este vazio… falarei sobre o lado positivo do vazio. Vazio quer dizer também espaço, liberdade, limpeza... espaço para o novo, para o que você não esperava… liberdade para se livrar do personagem, dos incômodos ou das dores da gravidez, da imagem que não sai da sua mente até que você a pinte… limpar o que não te serve mais.

Para criar coisas únicas, genuínas, precisamos nos doar de corpo e de alma… precisamos nos encher de inspiração, do todo… A entrega, a doação, a disciplina de criar algo novo e depois ter que dar aquela criação a uma segunda pessoa pode causar um vazio imenso em nós.

Se você gostaria de conhecer a força do profundo vazio pergunte a uma mãe que acabou de parir, a um pintor que terminou sua obra-prima, a um autor que escreveu seu melhor livro, a um pai que acabou de perder seu filho. A diferença entre uma obra de arte e um parto é que a obra não tem necessidade de cuidados, de Amor, o que faz com que o artista entre em luto, quase como ter vivenciado uma morte... precisamos deste tempo pós-parto, pós-obra para nos restabelecer, nos encher de outras inspirações e assim continuar o trabalho de uma outra criação. Temos que simplesmente deixar ir para coisas novas entrarem na nossa vida.

Lembre-se de ser Feliz nestas pausas, que seja uma pausa consciente, pois são nestas pausas que nós nos preenchemos com o novo. Se dar uma pausa é primordial para o corpo se revigorar.

Existe muita beleza no luto, na força do deixar ir… por exemplo, lembro que fiquei muito triste quando perdi meu pai em 2014, apesar de morar distante, me sentia muito próxima do meu velho. Me pegava chorando pelos cantos sem nem perceber. O que me motivou à deixar meu pai ir com consciência e até ficar feliz por ele ter acrescentado muitas coisas nas nossas vidas, foram nossas lembranças. As lembranças do tempo que passamos com uma pessoa te seguirá para sempre, você levará-las com você para a eternidade e ninguém poderá tirar isto de você. Assim, aceitei a morte do meu queridão e consegui seguir minha vida em Paz.

Quanto mais barulhento for o dilúvio, mais silencioso será depois… O Vazio deveria ser chamado de “Cheio”, de “Ser”, de “Verdade”, de “Deus”, “Divindade” e se abençoe nele.

O Vazio e o “UM” – Retirado do site: Reflexaomatematica

No princípio só havia uma força chamada de luz eterna.
Ela é a força vital da qual o espaço infinito é feito.
O tempo não se fazia sentir neste espaço infinito, também conhecido como INFINITUM.
Lá havia um único objeto o qual era chamado VAZIO.
No início não se tinha o equilíbrio necessário para a existência. Apenas o vazio habitava o infinitum diante da luz eterna.
A escuridão era necessária para o início do tempo, acreditava o VAZIO. Nem mesmo o INFINITUM percebeu isto, pois não lhe preocupava tal coisa.
Não pode haver um sem o outro, percebeu o Vazio.
Pelo menos dois opostos devem ser considerados como forças elementares para que outros possam vir a habitar o espaço infinito ao meu lado, dizia ele. Ele acreditava que isto faria com que o tempo pudesse ter início e, com ele, a criação de todas as coisas.
A escuridão era uma força latente, contudo, não era necessária e nem útil a nenhum propósito.
Apenas o espaço infinito tinha o poder de criar novas forças ou de trazer à tona forças ocultas dentro de si, como a escuridão. Assim, o Vazio clamou para o INFINITUM que lhe trouxesse a escuridão.
E eis que a escuridão foi sentida em toda a extensão do INFINITUM.
Com este ato, iniciou-se a contagem do tempo e, além disso, a escuridão passou a coexistir com a luz eterna e o vazio no INFINITUM.
Metades diametralmente opostas amalgamaram-se na alma cósmica e dessa junção necessária emergiu a criação primeira. Assim, o UM foi criado a partir do VAZIO, pelo VAZIO, com auxílio das forças que se opõe.
Fez-se então a existência.
O vazio não mais era o elemento solitário do infinitum, pois agora havia o Um.

Nota do Autor: Atualizo este Blogue à cada 2-3 dias, se você gostou, inscreva seu e-mail abaixo em Follow Blog Via E-mail(Siga o Blogue via e-mail)assim, você receberá nossas atualizações em Primeira mão. MJ 

One thought on “A Força do Vazio

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.