Voltando a ser Inocente

Toda Criança nasce sentindo todo o universo, toda a Criação. É na barriga da genitora que o bebê se sente mais em casa… lá ele(a) se sente seguro(a), alimentado(a), satisfeito(a), sem estresse, aquele estado de SER é a referência de paraíso para o(a) pequeno(a) valente e sair deste porto seguro pode ser traumatizante para um(a).

Nascemos inocentes e a nossa inocência se localiza na glândula Timos… depois dos 12 anos de idade esta glândula tende a calcificar e só na fase geriátrica, depois dos 60-70 anos de idade é que esta glândula começa a se descalcificar novamente, nos fazendo voltar a ser crianças novamente, nos faz puros de novo. Porém, se levarmos uma vida saudável, ativa, consciente… se tivermos uma vida meditativa, conseguiremos nos manter na nossa verdadeira essência nesta fase da vida onde nos é colocado “o véu”.

Vocês sabem o porquê dos bebês AMAREM barulho de aspirador, máquina de lavar roupa, etc… Chegam até a dormirem e se acalmam visivelmente? Porque estas máquinas os fazem lembrar do barulho dos órgãos(principalmente o coração)da genitora dele(a). O pulsar das veias, a digestão, o subir e descer dos fluídos.

Passamos a vida toda tentando nos adaptar a tudo depois que saímos do útero das nossas genitoras, do nosso Universo particular, passamos a nos familiarizar com sentimentos de incompetência, de comparação, onde a grama do vizinho é mais verde, que somos um fracasso e no final, esquecemos do nosso ninho, das nossas potencialidades, esquecemos de SER. Voltar a SER nos leva de volta a este paraíso particular só nosso, cheio de sensações, sons peculiares, luzes que só se veem com os olhos da alma.

A vida fora do útero genitor é um teatro e encenamos vários papéis no decorrer de nossa existência. A intensidade da nossa encenação, que só se mede quando colocamos o Amor no que realizamos, é que vai dizer se nossa vida valeu à pena e quanto mais perto você estiver de sua essência, será mais fácil de realizar suas tarefas, sem ter a sensação de estar carregando um fardo.

Quão envolvido você está no seu papel de pai, de mãe, irmão(ã), empregado(a), amigo(a), vizinho(a)? Quão presente você está na atividade quando você toma um banho, ao se alimentar, ao dirigir, ao pedalar, ao trabalhar? A Mente adoece quando encenamos papéis que não tem haver conosco, papéis rasos, sem o toque da nossa alma, sem acreditar ou sem ter consciência das nossas potencialidades que são MUITAS, infinitas e enormes como o Universo é… perdemos a vontade de viver, de Amar, de se comunicar, de confiar no outro, chegamos até a nos isolar, a nos dividir do todo, como se isto fosse possível.

O segredo de voltar para nosso “EU” está nas pequenas coisas, nas mais simples possível... comecemos pelo não julgamento, poderemos eliminar a palavra comparação do nosso dicionário, que fiquemos mais gratos pelo que nos é dado muitas das vezes de GRAÇA… que possamos ver nosso semelhante como colegas de jornada ao invés de vê-los como problemas. O que é importante para você hoje? O que você precisa fazer para voltar a ter contato com aquele(a) menino(a) que lutou com toda sua alma para ao menos ter o direito de viver e se desenvolver dentro do útero genitor?

A experiência do útero genitor pode ser a mesma experiência de Nirvana, de Paraíso, de Universo, Cosmo, Deus, Criação, you name it(coloque o nome que quiser)…. não esquecendo que todo pólo positivo tem seu pólo negativo, esta mesma sensação pode ser alcançada através das drogas, alucinógenos, álcool, etc… lógico, estes métodos te dará um breve alívio ou visão do seu paraíso particular ou das suas sombras(geralmente se experiencia as sombras) e as consequências são mortais.

Que possamos voltar ao nosso shangrilá aqui e agora, conscientes, saudavelmente, sem muitos dramas e felizes… feche seus olhos, medite nesta experiência e se liberte… somos MUITO maiores do que aparentamos ser, confie! 😉

Tu és a tua própria Carta de recomendação – 2 Corintios 3 … deixo também o link do Youtube com uma reflexão sobre esta passagem da bíblia:
https://youtu.be/NfRMdYM4uAA?list=PLdDO4eeVZyhPU8CzRiaZCTXARCcrwmLlK

Porventura começamos outra vez a louvar-nos a nós mesmos? Ou necessitamos, como alguns, de cartas de recomendação para vós, ou de recomendação de vós?
Vós sois a vossa própria carta, escrita em vossos corações, conhecida e lida por todos os homens.
Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração.
Porque, se o que era transitório foi para glória, muito mais é em glória o que permanece.
Tendo, pois, tal esperança, usamos de muita ousadia no falar.
Se os seus sentidos foram endurecidos; o véu está posto sobre o coração deles.
Mas, quando se converterem ao Senhor(ou descobrirem seu paraíso particular), então o véu se tirará.
Ora, o Senhor é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade.
Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.

Nota do Autor: Atualizo este Blogue à cada 2-3 dias, se você gostou, inscreva seu e-mail abaixo em Follow Blog Via E-mail(Siga o Blogue via e-mail)assim, você receberá nossas atualizações em Primeira mão. MJ 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.