Nascer de Novo como a Fênix – A Vasculite e Eu

Alguém aí já passou pela experiência de sentir que nasceu novamente, que teve uma nova chance ou que ressurgiu de suas próprias cinzas como a lenda da fênix? Pois é, Amigos… passei por uma dessas experiências e isto explica a ausência de um pouco mais de um mês deste espaço onde é meu canto filosófico.

Adquiri uma doença vascular chamada Vasculite onde ataca a imunidade e no meu caso foram os pulmões… vasculite ou angiite é o nome dado a uma inflamação nos vasos sanguíneos. Esta doença é hereditária, minha avó paterna, meu pai e um primo próximo morreram de infecção generalizada desta doença.

Deixando o drama ou até os traumas de lado, fiquei em coma induzida por 8 dias, passei duas semanas na reabilitação da UTI e finalmente 3 dias num quarto normal de hospital como qualquer outro mortal, ouvindo o canto dos passarinhos, olhando a primavera Norueguesa na sua melhor fase, com tulipanas(flores), vento fresco sem ser frio e uma castanheira(árvore)de tirar o folego… recebi alta e foi aí que percebi na prática que o que temos aqui é só o nosso AQUI E AGORA, nosso tempo presente.

Percebi o quanto sou querida e o quanto minha família se uniu. A partir de hoje direi mais Eu te Amo, gosto de você, você é importante para mim… não precisamos chegar ao fundo do poço para chegar a esta conclusão.

Me deram doses cavalares de medicamentos para baixar a infecção que estava de 60% no meu corpo, antibióticos, cortisona, you name it… isto me deixou meio zen, calma, meio fora do eixo, meio abestalhada(expressão do Nordeste que quer dizer fora do ar). Da coma eu não lembro de nada, a sensação foi que dormi as 22h e acordei as 6h da manhã como faço todos dias… MAS, quando acordei tive alucinações, que são bem normais para quem tomou medicação forte, vi coisas lindas mas vi muita coisa chata e cheguei a conclusão de que se existe mundo astral ou espiritual, lhes garanto, caro leitor, estes não tem nada haver com céu ou paraíso que todo mundo fala… acredito que o céu ou Paraíso deve ser anos luz daqui, bem distante dessa nossa atmosfera, aprendi que a força do pensamento chega a ser palpável ou que até se materializa.

Os sentimentos variam entre cansaço, muita energia, tremedeira nas mãos, vontade de ouvir música 24h, não consigo meditar pois acredito que meu organismo esteja agitado por causa da medicação… mas consigo me concentrar nos meus batimentos cardíacos, consigo contar de 200-01 de trás para frente, consigo ficar sentada, me encher de luz e essas são formas de meditação também.

Assim cheguei em casa e tudo me cansa mas o prognóstico é bom, sou relativamente jovem(41 anos de idade) e ficarei curada se pegar leve e seguir em frente devagar. Minha ambição hoje é cuidar do meu jardim, levar sol, curtir minha família e ser eu mesma na saúde e na doença.

Aprendi a dar valor ao que eu tenho(não falo de coisas materiais) e não o que eu não tenho. Me sinto regenerada, como se tivesse renascido das cinzas, igual a saga da fênix. Os sentidos estão aguçados, como se eu estivesse fazendo tudo pela primeira vez… a visão está mais sensível, o paladar, o olfato, o tato.

Ame hoje, viva hoje, faça hoje, faça tudo hoje pois a vida é um sopro Divino e de repente, você não estará mais aqui. Sou eternamente grata a tudo que me aconteceu pois apesar de tudo, me sinto forte, segura de mim mesma, emocionada com a comoção das pessoas, da humanidade que me foi doada, me sinto Amada e esta é uma das sensações mais satisfatórias que um ser humano pode ter … só tenho a agradecer.

Minhas atualizações futuras virão quando tiver mais força e inspiração mas não deixarei de escrever o que meu coração quer falar e ele tem muito o que filosofar. De uma recém nascida da estrada da vida. MJ

Retirado do site: Pensador.com

“Descobri hoje um grande poder oculto;
Um dom de fênix para renascer das minhas próprias cinzas,
Descobri que a estrada não acabou, ela só tomou um desvio…
“No meio do caminho tinha uma pedra”
Como em todo caminho tem uma perda
Eu dei o melhor de mim, lutei com as armas que sabia lutar
Fui derrotado, eu assumo.
Apenas FUI. Não sou. Não serei.
E agora?
Levantarei de novo, quantas vezes for preciso
Não usarei ninguém como espelho
Quero chegar à frente e ver minha própria imagem
O reflexo do que sou, do que fui e do que serei….
Como já disseram: “ Quem sempre vence perde a glória de chorar”.
O que seriam as grandes vitórias sem os grandes fracassos?
Etapas… Ciclos …
Eu sou o meu próprio motor de ignição 
E cabe a mim e a ninguém mais a escolha
De ficar triste e ganhar pena
Ou ficar feliz e ganhar a própria glória…
E eu escolhi tentar outra vez…
Paciência…Sabedoria só se ganha com tempo.
E o tempo?
“O tempo não pára”
Se valeu apena?
“Tudo vale apena se a alma não é pequena”
“Que não seja infinito, mas que seja eterno enquanto dure”
“Os meus sonhos dependem de mim”
Usarei uma força que eu talvez nunca tenha
E direi o que quiserem ouvir, aqui dentro de mim só eu sei
Para o frio existe o calor
E essa chama até então desconhecida não permitirá
Que o frio permaneça.

7 thoughts on “Nascer de Novo como a Fênix – A Vasculite e Eu

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.