Qualidade de vida

Qual o conceito mais próximo da perfeição do que é Felicidade para você? Segundo o Google, felicidade é o estado de quem é feliz, uma sensação de bem estar e contentamento… Para uns Felicidade é o famoso Carpe Diem – Aproveite o dia… para outros, o ideal de vida é ter conforto, segurança, qualidade de vida, ser rico, ser jovem, ser popular, ter virtudes como: Vontade, imaginação, integridade, inteligência, organização, auto-conhecimento… ou seja, felicidade é um conceito subjetivo, cada um tem o seu.

Walt Whitman (1819 – 1892)

Walt Whitman fala no seu poema sobre a Felicidade – Carpe Diem – uma das coisas mais memoráveis já escritas:

Aproveita o dia!
Não deixes que termine sem teres crescido um pouco.
Sem teres sido feliz, sem teres alimentado teus sonhos.
Não te deixes vencer pelo desalento.
Não permitas que alguém te negue o direito de expressar-te, que é quase um dever.
Não abandones tua ânsia de fazer de tua vida algo extraordinário.
Não deixes de crer que as palavras e as poesias, sim, podem mudar o mundo.
Porque passe o que passar, nossa essência continuará intacta.
Somos seres humanos cheios de paixão.
A vida é deserto e oásis.
Ela nos derruba, nos lastima, nos ensina, nos converte em protagonistas de nossa própria história.
Ainda que o vento sopre contra, a poderosa obra continua, tu podes trocar uma estrofe.
Não deixes nunca de sonhar, porque só nos sonhos pode ser livre o homem.
Não caias no pior dos erros: O silêncio.
A maioria vive num silêncio espantoso. Não te resignes, nem fujas.
Valorize a beleza das coisas simples, se pode fazer poesia bela, sobre as pequenas coisas.
Não traia tuas crenças.
Todos necessitamos de aceitação, mas não podemos remar contra nós mesmos.
Isso transforma a vida em um inferno.
Desfruta o pânico que provoca ter a vida toda adiante.
Procures vivê-la intensamente sem mediocridades.
Pensa que em ti está o futuro, e encara a tarefa com orgulho e sem medo.
Aprendes com quem pode ensinar-te as experiências daqueles que nos precederam.
Não permitas que a vida se passe sem teres vivido!

Para Platão o mundo é cópia, aparência e imitação de um mundo perfeito ou seja, de um mundo realmente real. Platão mostrou-nos que todos nós estamos sempre em contato com duas realidades: Uma inteligível e outra sensível. A primeira é permanente, universal, nunca se modifica, é o mundo das idéias. A segunda,  é o mundo que percebemos por nossos sentidos, mutável e contingente, o mundo sensível.  Platão demonstra que o mundo tem uma forma a priori, uma estrutura inteligível.

A teoria das idéias de Platão está diretamente ligada a sua teoria da alma.  Na parte IV , do seu livro “República”,  Platão concebe o homem como corpo e alma. Enquanto o corpo modifica-se e envelhece, a alma é imutável, eterna e divina. A alma inteligente preso ao corpo um dia foi livre e contemplou o mundo das idéias, mas as esqueceu. É somente através da busca do conhecimento, através de um processo de recordação, de reminiscência, o homem pode lembrar-se das idéias que um dia contemplou.  A realidade sem forma, sem cor, impalpável só pode ser contemplada pela inteligência, que é o guia da alma.

Platão divide a alma em três partes. O lado racional está localizado na cabeça, seu objetivo é controlar os dois outros lados, com ele adquirimos a sabedoria e a prudência. O lado irascível está localizado no coração, seu objetivo é fazer prevalecer os sentimentos e a impetuosidade, com ele adquirimos a coragem. Por último, temos o lado concupiscente que está localizado no baixo-ventre, seu objetivo é satisfazer os desejos e apetites sexuais, com ele adquirimos a moderação ou a temperança.  

Ter autocontrole é essencial para sermos felizes. A felicidade só pode ser alcançada se formos capazes de dominar nossos sentimentos pela razão. A moderação é uma virtude,  e ela se realiza quando somos capazes de controlar a nossa concupiscência. O indivíduo moderado é aquele que não cede as suas paixões, impulsos e prazeres. Da mesma forma,  o indivíduo não se lançara a luta e a agressão indiscriminadamente, uma vez que a razão deve saber discernir o que é bom e mal para nossa vida, sabendo dominar a nossa alma irascível. Dessa forma, seremos felizes se através da razão soubermos controlar nossa vida, pois a virtude natural da razão é o conhecimento.(Retirado do site: Filosofonet.wordpress.com).

Mas o que tem tudo isso haver com qualidade de vida? Pois é, nós somos aquilo que nos programamos para ser e ter qualidade de vida requer em que tipo de prioridades nós temos para cada um de nós… temos que ter consciência de que o que estamos desejando para nós, que o nosso ideal de felicidade seja necessariamente nosso e não imposto para nós, para isso precisamos saber quais são nossas prioridades, o que felicidade significa para nós e onde eu quero chegar com tudo isso, se o sentido Carpe Diem me satisfaz, etc…

Deixo aqui um vídeo falando sobre o verdadeiro ideal sobre o Amor, segundo Platão:

One thought on “Qualidade de vida

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.